Até há poucos anos falava-se de crianças irrequietas, com dificuldades em prestar atenção, como se isso fosse uma característica normal de alguns indivíduos. Na verdade é uma característica relativamente comum mas atualmente considerada como uma perturbação no desenvolvimento neurológico das crianças, podendo esta vir a afetar também o seu comportamento e interações sociais na idade adulta.

A designação completa desta condição é Perturbação de Hiperatividade / Défice de Atenção, e é mais conhecida pela sua sigla PHDA.

Atualmente em Portugal, e também um pouco por todo o mundo Ocidental, esta temática é abordada em congressos para profissionais de saúde, que incluem muitas vezes workshops que visam a partilha e aprofundamento de conhecimentos para os profissionais.

Estes workshops estão por vezes abertos também aos pais e educadores de crianças que se incluem no espectro da PHDA.

A importância de agir precocemente

Sendo a PHDA uma perturbação que se revela e desenvolve na infância e adolescência, é importante ter profissionais da área da saúde e da educação bem preparados para lidar com esta condição desde os seus estágios iniciais.

A realização de workshops em congressos que abordem esta temática deve conter a oferta de formação a este nível, para que possa existir uma intervenção precoce. Esta intervenção atempada permitirá um melhor ajuste da criança ou jovem ao meio que a rodeia e aos seus pares.

Intervenção ao nível das escolas

Por isso mesmo nunca é demais ressalvar que estes workshops devem estar não só abertos à participação dos profissionais de saúde mas também a professores e auxiliares que lidam diariamente com crianças e adolescentes com PHDA.

A intervenção a nível das escolas é essencial para que ao longo do seu percurso nas mesmas, e posteriormente na saída para o ensino superior ou mercado profissional, os jovens estejam equipados com todas as competências necessárias para uma vida saudável e funcional em sociedade.